Manaus, 20 de julho de 2024

Os deputados federais Amom Mandel (Cidadania) e Alberto Neto (PL) tiveram um desentendimento nas redes sociais no último final de semana devido à liberação das chamadas “emendas PIX” pelo governo federal. Amom divulgou a informação de que o governo liberou os recursos às vésperas da votação da reforma tributária.

Na postagem, o parlamentar divulgou uma lista de partidos beneficiados e os nomes dos cinco deputados que receberam os maiores valores em “emendas PIX”. Entre eles estava o nome de Alberto Neto, que teria recebido R$ 15,7 milhões.

Amom declarou: “É importante que a população fiscalize todos os deputados que solicitaram as emendas PIX e receberam o pagamento recorde de Lula. O PL [de Alberto Neto] foi o partido que mais recebeu emendas nessa modalidade. Utilizar o modelo em si não é errado, mas é necessário ter transparência em todos os mandatos.”

Alberto Neto decidiu responder na mesma postagem, adotando uma postura orientadora, porém com uma dose de ironia, sugerindo que o colega ainda não está familiarizado com todos os processos da Câmara dos Deputados por ser novato. Ele explicou que os recursos se referem às emendas impositivas, com os valores sendo direcionados para estados e municípios.

O deputado também explicou a Amom que os recursos foram aprovados no ano passado e afirmou que não existe a prática de receber emendas para votar projetos específicos na Câmara.

“Os recursos em questão foram aprovados em 2022, o que explica a presença de deputados não reeleitos na lista. Agora estão liberados para governos e prefeituras, conforme estabelecido pela legislação. Não há história de ter recebido emenda para votar em matérias específicas dentro da Câmara. O deputado é jovem e certamente aprenderá, terá a oportunidade de destinar emendas impositivas para o Amazonas”, respondeu Alberto Neto.

O PL, partido de Alberto Neto, foi o mais beneficiado com a liberação das “emendas PIX”. A decisão do governo Lula foi vista como uma manobra para atrair votos de membros do partido do ex-presidente Jair Bolsonaro em apoio à reforma tributária, uma vez que os recursos das emendas destes parlamentares estavam sendo bloqueados pelo governo.

No entanto, o deputado Alberto Neto foi o único membro da bancada federal do Amazonas na Câmara a votar contra o projeto da reforma, enquanto Amom Mandel foi favorável.

Fonte: Portal do Holanda