Manaus, 14 de julho de 2024

Em ritmo acelerado, o trabalho, realizado pelo Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), começou após pedido do governador Wilson Lima ao Governo Federal para dar suporte ao Amazonas com o agravamento da estiagem. 

Principal canal de ligação do Amazonas com o restante do país por meio de Porto Velho, em Rondônia, o rio Madeira começou a receber serviço de dragagem em um dos seus pontos críticos para navegação no último dia 4. Conforme o governo federal, a previsão de conclusão é de 30 a 45 dias, portanto, até no máximo dia 20 de dezembro. A dragagem emergencial do rio Madeira deve facilitar o escoamento de cargas e produtos da região, assim como o transporte de pessoas no Amazonas.

“Com o início da dragagem na enseada do rio Madeira, temos o segundo ponto que estrangulava a passagem de navios sendo trabalhado. As dragas presentes no rio Madeira são duplas, o que permite desassorear o fundo do rio mais rapidamente. Ao fim dos serviços, esperamos que, a partir da segunda quinzena de novembro, nós já tenhamos navios chegando a Manaus”, disse o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Serafim Corrêa.

Atualmente, o serviço de dragagem também está sendo realizado no rio Solimões ao longo de 8 quilômetros de extensão, entre os municípios de Tabatinga e Benjamin Constant.

Realizado pelo DNIT, o serviço terá custo de R$ 38 milhões.  Na esfera estadual, a Superintendência Estadual de Navegação, Portos e Hidrovias (SNPH) é a responsável por alinhar a comunicação com outros órgãos e o Governo Federal.  Por conta da seca histórica dos rios do Amazonas, há cerca de um mês os grandes navios cargueiros não aportam em Manaus com insumos do polo industrial. Consequentemente, também não transportam a produção da ZFM para fora do estado. Entre outros prejuízos à economia do Amazonas, a indústria se viu obrigada a dar férias coletivas a milhares de trabalhadores.

Apoio

No dia 26 de setembro, o governador Wilson Lima esteve em Brasília, onde recebeu a garantia do apoio ao serviço emergencial de dragagem para facilitar o tráfego em rios do estado. Na ocasião, o governador explicou que o rio Solimões está muito assoreado, em razão da severa seca que afeta o estado. No dia 4 de outubro, durante visita do vice-presidente da República e ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Geraldo Alckmin, o governador do Amazonas, Wilson Lima, recebeu a garantia de repasse de R$ 138 milhões do Governo Federal para a dragagem dos rios Solimões e Madeira.