Manaus, 21 de julho de 2024

Na terça-feira (14), a 2.ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus continuou a audiência de instrução da Ação Penal envolvendo Gil Romero Machado Batista e José Nilson Azevedo da Silva. Estes são suspeitos de envolvimento na morte de Débora da Silva Alves, uma jovem grávida de oito meses, em agosto deste ano.

O juiz de direito James Oliveira dos Santos presidiu a audiência, enquanto o promotor de justiça Leonardo Tupinambá representou o Ministério Público do Estado do Amazonas. A assistência legal foi prestada pela advogada Goreth Rubim, e os acusados foram representados por Vilson Benayon e a defensora pública Ellen Cristine Alves de Melo.

Apesar da promessa da defesa de Gil Romero de apresentar uma testemunha, isso não foi possível. Portanto, nesta terça-feira, os trabalhos se concentraram no interrogatório dos acusados, uma vez que as testemunhas de acusação já foram ouvidas no dia 7 de novembro.

O juiz iniciou o interrogatório de José Nilson, que optou por permanecer em silêncio. Em seguida, questionou Gil Romero Machado, que escolheu responder apenas às perguntas do seu advogado de defesa.

Ambos os acusados participaram da audiência por videoconferência a partir do Centro de Detenção Provisória (CDPM 1), onde estão detidos preventivamente. O procedimento teve início às 09h55 e foi encerrado às 13h50.

Próximas etapas

Depois dos interrogatórios, houve pedido da defesa para novas diligências junto à Polícia Civil do Amazonas. Após cumpridas as diligências requeridas, o Juízo abrirá prazo para a apresentação dos memoriais (por parte da acusação e da defesa) e, posteriormente, sairá a decisão se os acusados serão submetidos a júri popular.

Fonte: Agência Brasil