Manaus, 14 de julho de 2024

A Prefeitura Municipal de Tabatinga através da Gerência Municipal de Zoonoses (GMZ), realiza Campanha de vacinação antirrábica em cães e gatos. O cronograma de visitas da campanha de vacinação antirrábica animal está sendo realizada de segunda a sexta-feira, nos bairros de toda a cidade e comunidades ribeirinhas para imunizar cães e gatos contra a raiva humana.

O gerente do Centro de Zoonoses Tabatinga (GMZ), Jairo Junior da Silva Garcia, reitera que as visitações nos bairros e comunidades ocorrem sempre no horário das 7h às 12h, e das 14h às 17h, enfatiza que os trabalhadores da prefeitura de Tabatinga atuam em duplas, com um vacinador e um registrador, ambos identificados com o uniforme da campanha.

“É importante que o proprietário ou responsável por cães e gatos esteja na residência para receber a equipe de imunização, pois os vacinadores só podem realizar o procedimento com a assistência de um tutor, para a contenção do animal”, ressalta o gerente.

Jairo assinala ainda que o alvo da campanha são animais com idade a partir de 3 meses, que devem estar em boas condições de saúde para receber a vacina. Um comprovante de vacinação dos bichos de estimação é entregue aos tutores após o procedimento.

A vacinação de animais ocorre ainda na Gerência Municipal de Zoonoses Tabatinga (GMZ), no horário das 7h às 12h, e das 14h às 17h, situado na rua Duque de Caxias, s/n°, bairro Centro (Próximo ao Posto de Combustível Atém)

Imunização

A Campanha de vacinação antirrábica, tem como o objetivo de imunizar 11800 mil cães e gatos. A vacina contra a raiva humana é obrigatória para cães e gatos, que devem ter a proteção renovada todos os anos. Durante a campanha anual, a (GMZ), promove a intensificação da imunização em toda cidade e comunidades ribeirinhas, e também é ofertada durante o ano todo na sede da Gerência Municipal de Zoonoses Tabatinga (GMZ).

Em Tabatinga, não há registro de casos de raiva humana. No Amazonas, os últimos registros ocorreram em 2017, em Barcelos, onde ocorreram três casos, com dois óbitos. No Brasil, em 2022, foram registrados cinco casos, sendo quatro em Minas Gerais e um no Distrito Federal.

Texto – Marcio Nobre / Jornalista