Manaus, 25 de julho de 2024

O senador Omar Aziz (PSD-AM) defendeu que a Comissão de Ética do Senado afaste o senador Marcos do Val (Podemos-ES), até o fim das investigações sobre o plano de golpe confessado pelo próprio parlamentar. Para Omar Aziz, Marcos do Val prevaricou ao não informar à Procuradoria-Geral da República e à presidência do Senado sobre o plano golpista que tentava pôr em xeque o resultado das eleições de 2022.

A ideia do golpe, segundo as diferentes versões contadas por Do Val, teria partido de um encontro com o então presidente Jair Bolsonaro (PL) e o então deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ).

A fala de Omar vem ao mesmo tempo em que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes determinou a abertura de uma apuração sobre as declarações de Do Val, que pode responder por falso testemunho, denunciação caluniosa e coação no curso do processo. Moraes é o principal alvo do plano golpista, que consistia em gravar de maneira clandestina alguma possível fala comprometedora do ministro, que também atua como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Para Omar Aziz, caso a história de Marcos do Val se comprove verdadeira, não há dúvidas de que o senador prevaricou. Segundo Omar, Val tinha obrigação de ter avisado as autoridades competentes, mas o que prevaleceu foi a intenção de “tumultuar” o País.

“Não há anistia, seja para quem for. Seja militar, senador, deputado, não há anistia. A gente está esperando o que para agir? A comissão de ética precisa se reunir e pedir o afastamento do senador Marcos do Val, que não tinha direito de não comunicar a PGR e o Senado Federal para que providências fossem tomadas”, salientou Omar.