Manaus, 20 de julho de 2024

A invasão russa da Ucrânia perdura, com as forças de Moscou a intensificarem os ataques à cidade ucraniana de Avdiika. Na última noite, a região de Kharkiv voltou a ser bombardeada, tendo as defesas aéreas ucranianas afirmado que interceptaram 16 dos 18 drones lançados pela Rússia.

A situação nos arredores de Avdiika “é muito tensa”, afirmou à televisão estatal ucraniana Vitaly Barabach, esta quinta-feira.

“Nos últimos dias, o inimigo tornou-se mais ativo, principalmente nessa direção, realizando ações ofensivas com veículos blindados”, continuou.

Segundo o autarca ucraniano, as forças russas “atacam pelos flancos, pelo sul, um pouco menos pelo norte”, recorrendo à infantaria, “quase 24 horas por dia”, enquanto “atingem posições em redor da cidade”.

A cidade industrial Avdiivka foi controlada temporariamente, em julho de 2014, pelos separatistas pró-Rússia armados por Moscou, antes de regressar ao controlo ucraniano, e é uma das cidades ucranianas mais disputadas neste conflito. Moscou lançou uma nova ofensiva, em outubro, nesta região, com o objetivo de cercar e reconquistar a cidade, estando a intensificar os ataques.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, garantiu contudo que os soldados “mantiveram as suas posições”.

Região de Kharkiv alvo de ataque

Já esta quinta-feira os militares da Ucrânia afirmam ter abatido 16 dos 18 drones lançados pela Rússia na última noite, além de um míssil.

As defesas aéreas foram acionadas na região oeste de Khmelnytsky, referiu o vice-governador. Os moradores foram orientados a abrigar-se na região e na cidade de Starokostyantyniv, local de uma base aérea que os ataques aéreos russos têm repetidamente visado.

Segundo as mesmas autoridades, a infraestrutura civil não especificada na região oriental de Kharkiv, que faz fronteira com a Rússia, foi danificada por mísseis S-300, não havendo registos de vítimas.

O Ministério da Energia da Ucrânia afirmou, por sua vez, que estes bombardeamentos russos tinham como alvo uma central elétrica na região oriental de Donetsk e danificaram equipamento.

As autoridades ucranianas reportaram ainda uma morte em consequência de um ataque russo à cidade de Kherson, no sul do país.

“Desde as primeiras horas da manhã, o exército russo tem atacado o distrito de Korabelny, em Kherson”, disse o governador regional, Oleksandr Prokudin, no Telegram, indicando que um homem de 68 anos morreu e uma mulher de 54 anos foi hospitalizada após ser ferida.

Kherson foi libertada há um ano pelas forças ucranianas, após meses de ocupação, mas o exército russo continua a atacar a cidade, atingindo-a quase diariamente.

As forças ucranianas têm levado a cabo operações militares nesta região, na esperança de lançar um ataque maior, a fim de romper as linhas russas que resistem a uma vasta contraofensiva lançada em junho.

A Rússia, por sua vez, continua a realizar bombardeamentos noturnos em território ucraniano.

Fonte: Agência Brasil