Manaus, 21 de julho de 2024

A Fumaça voltou encobrir a cidade de Manaus mais uma vez, em decorrência dos incêndios e queimadas no Amazonas ganha destaque, totalizando alarmantes 18.090 focos de calor no período de janeiro a 24 de outubro, conforme dados divulgados pela Defesa Civil na quarta-feira (25/10).

O verão amazônico, caracterizado por temperaturas elevadas e baixa umidade relativa do ar, desde julho, exerce significativa influência no expressivo aumento de focos de calor na região. Foram identificados na Região Metropolitana de Manaus, um total, 2.500 focos de queimadas, enquanto 2.818 se espalham pela área estadual (15,78%). As áreas federais contabilizam assustadores 10.852 focos (60%), e no sul do estado, 9.970 focos (55,11%).

O esse impacto, reflete-se na cidade Manaus, onde densas nuvens de fumaça encobriram a cidade, advindas principalmente da região metropolitana ao longo da última semana. Essa condição transformou a qualidade do ar na capital amazonense em uma das piores do mundo para a respiração. De acordo com o Sistema Eletrônico de Vigilância Ambiental (Selva), que mede a qualidade do ar, inclusive, identificou que em algumas zonas da cidade o ar ficou classificado como “modera

Combate

As ações dos trabalhos do Corpo de Bombeiros do Amazonas enfrentou 2.466 focos no período de 12 de julho a 24 de outubro, distribuídos entre 707 na capital e 1.759 no interior.