Manaus, 20 de julho de 2024

O médico Daniel Sonnewend Proença, de 33 anos, que enfrentou um terrível ataque a tiros em um quiosque na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, compartilhou uma mensagem de otimismo e agradecimento em um vídeo divulgado nas redes sociais. Daniel está atualmente internado no Hospital Samaritano, onde passou por uma cirurgia que durou impressionantes 10 horas na quinta-feira (5/10).

No vídeo, ele se dirige ao público e afirma: “Pessoal, eu tô bem, viu? Tá tudo tranquilo graças a Deus. Só algumas fraturas, mas vai dar certo. A gente vai sair dessa juntos. Valeu pela preocupação. Obrigado!”. Suas palavras ressoam com tranquilidade e resiliência diante das circunstâncias difíceis pelas quais passou.

O ataque a tiros que Daniel sofreu resultou em 14 disparos, provocando 24 perfurações em seu corpo. Ele sofreu lesões no tórax, intestino, pélvis, mão, pernas e pé. Dois projéteis ainda permanecem alojados em seu corpo, enquanto um terceiro foi removido por médicos. O projétil retirado será entregue às autoridades policiais para análise pela Polícia Civil.

Daniel ainda carrega uma bala alojada próximo ao ombro, especificamente na escápula, e sua alta médica não tem uma previsão imediata.

É importante notar que Daniel foi o único sobrevivente do ataque, no qual três médicos perderam a vida. Os corpos dos médicos falecidos, Perseu Ribeiro de Almeida, Marcos Andrade Corsato e Diego Ralf Bonfim, todos especializados em ortopedia, serão velados em São Paulo e na Bahia entre sexta-feira (6/10) e sábado (7/10).

A investigação em curso pela Polícia Civil do Rio de Janeiro sugere que o médico Perseu Ribeiro Almeida pode ter sido confundido com o miliciano Taillon de Alcântara Pereira Barbosa, filho de Dalmir Pereira Barbosa, apontado como líder da milícia de Rio das Pedras. O ataque ocorreu próximo a um quiosque na Barra da Tijuca, e testemunhas relataram a presença de um grupo que atirou contra os médicos no local.