Manaus, 14 de julho de 2024

O mercado financeiro reduziu suas projeções de inflação para este ano, de acordo com o Boletim Focus divulgado pelo Banco Central. O Índice de Preço ao Consumidor Amplo (IPCA) agora é estimado em 3,72%, ligeiramente abaixo da previsão anterior de 3,73%. As previsões, baseadas em consultas a economistas e analistas de mercado, também indicam um crescimento mais robusto do Produto Interno Bruto (PIB) para 2024, com uma estimativa de 2,05%, superando os 2,02% previstos anteriormente.

As projeções para os próximos anos também apontam estabilidade e crescimento moderado. Para 2025, espera-se uma inflação de 3,64%, enquanto em 2026 e 2027 prevê-se uma taxa de 3,5% em ambos os anos. Quanto à taxa básica de juros, o mercado projeta uma taxa Selic de 9,63%, indicando uma possível desaceleração no ritmo de corte previsto anteriormente.

A próxima reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, marcada para os dias 7 e 8 de maio, pode sinalizar mudanças na política monetária, especialmente em relação à taxa Selic. Uma redução na Selic tende a baratear o crédito e estimular a atividade econômica, enquanto um aumento visa conter a demanda e controlar a inflação.

Quanto ao câmbio, as projeções indicam uma estabilidade relativa do real em relação ao dólar nos próximos anos, com o dólar previsto para fechar em R$ 5,00 em 2024, R$ 5,05 em 2025, e R$ 5,10 tanto em 2026 quanto em 2027, sugerindo uma continuidade nas condições cambiais.