Manaus, 21 de julho de 2024

O presidente da Federação Amazonense de Futebol (FAF) e Deputado Estadual, Ednailson Rozenha (PMB) respondeu aos ataques pessoais e xenofóbicos do presidente afastado do Tribunal de Justiça Desportiva do Amazonas (TJDAM), Dr. Édson Rosas Júnior. Nesta terça-feira (26/09), na tribuna do plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), Rozenha reafirmou seu compromisso com o futebol amazonense.

Mesmo com a decisão do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), que impede o acesso de Rosas às dependências do TJDAM, no último sábado (23/05), o presidente afastado realizou uma coletiva de imprensa no auditório do tribunal, oportunidade em que fez infundadas acusações e ataques pessoais a Rozenha.

“Senhores Deputados, hoje, a Federação Amazonense de Futebol completa 57 anos de fundação e, infelizmente, eu digo com muita tristeza, a gente assiste a um vídeo desse, do presidente afastado do Tribunal da Justiça Desportiva, por uma ação movida pela Federação, interposta no STJD. Quero deixar claro aqui, que em nenhum momento, a peça da Federação atacou a família do presidente afastado. Na verdade, ele conhece tão pouco a minha história, que eu não sou de Roraima, sou de Rondônia. E se eu fugi de Rondônia, eu fugi da falta de oportunidade, fugi da falta de emprego, eu fugi até da fome e fui abraçado por essa terra e sua gente, que abraça a tantos outros brasileiros e, de forma alguma, essa casa pode tolerar qualquer tipo de xenofobia. Fato é que o afastamento do presidente do Tribunal da Justiça Desportiva se deu por indícios graves de condutas desaprovadas, éticas e de corrupção. Instaurou-se no futebol amazonense, no âmbito do TJD, uma indústria de multas, que punia ferozmente clubes de base, ligas de interior, com valores abusivos, absurdos. Sobretudo, depositadas em contas pessoais do presidente e de sua secretária, Larissa Ponce”, esclareceu Rozenha.

Durante seu pronunciamento, o Deputado recebeu a solidariedade e apoio dos colegas de parlamento, os Deputados Thiago Abrahim (UB), Dr. George Lins (UB) e vice-presidente da Aleam, Carlinhos Bessa (PV). Além do apoio, Bessa adiantou que a Casa Legislativa do Amazonas homenageará Rozenha com a outorga do Título de Cidadão Amazonense. Gesto que emocionou muito o parlamentar e presidente da FAF.

Irregularidades

Após representação da FAF junto ao STJD, Dr. Edson Rosas Júnior e sua secretária, Larissa Ponce foram afastados por 30 dias. Conforme a decisão do STJD, a dupla teria recebido, em contas pessoais, valores oriundos de condenações suspeitas aplicadas pelo TJDAM aos seus filiados.

“Não dá pra aceitar que a gente abra a Arena da Amazônia para crianças de 8, 10, 12 anos que tem o sonho de jogarem em um solo sagrado, em um ambiente motivador e o tribunal puna, um Sub-14, Sub-16 com R$ 5 a R$ 10 mil de multa, pela falta de um gandula, porque sabe que os pais têm dinheiro. Não dá para aceitar que as prefeituras do interior, que tem o interesse de levar os jogos da Copa da Floresta tenham que arcar com multas altíssimas, porque ele sabe que os prefeitos vão pagar para verem suas seleções jogarem. Ele esqueceu que para tudo existe regra, existe lei, limites. Ele esqueceu que o futebol amazonense não pode estar nas mãos de ninguém. O futebol amazonense é dos clubes e das ligas, não de um tirano que usou sua caneta para mercantilizar o futebol”, declarou o presidente da FAF.

Além disso, conversas em um aplicativo de mensagens mostram que tanto o presidente do TJDAM, quanto a secretária geral usavam de seus cargos para chantagear e obter valores de representantes de clube filiados ao tribunal. Diante das irregularidades, o STJD solicitou ainda que o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) fosse informado dos fatos narrados para providências que entender cabíveis.

“A Federação não poderia cruzar os braços diante de tanta tirania. Não é adequado, no futebol amazonense alguém ganhar dinheiro. Se tem alguém ganhando dinheiro, tem algo errado e esse alguém é o presidente afastado, cautelarmente do TJD. Não há como aceitar que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), por um lado tente apoiar, da melhor maneira possível, o futebol dessa terra, o Governo do Estado, na pessoa do Governador, Wilson Lima, apoiando como nunca e o tribunal vampirizando homens simples, sobretudo, do interior com multas absurdas, que não fazem parte da realidade do futebol amazonense. Não tem como. Valores depositados, diga-se de passagem, na conta pessoal dele, o que é absolutamente vedado pelo STJD”, completou.

Apoio

Na última segunda-feira (26), a FAF recebeu o apoio de todos os clubes que disputam a Série A do Campeonato Amazonense e também das 62 Ligas Desportivas do Estado do Amazonas, no afastamento do Dr. Édson Rosas Júnior. O apoio foi oficializado por meio de duas notas oficiais assinadas pelos representantes legais das Entidades de Prática Desportivas (EPDs) e entregues ao presidente da Federação.

“Quem está com a razão? Quem emite multa de R$ 20 mil para um clube de base e ligas humildes do interior ou o presidente da FAF que vai buscar recursos, usa da sua influência para soerguer o futebol amazonense? Que apoia, que está junto, que vai aos estádios, que viaja para o interior, que sonha fazer futebol para povos tradicionais, que busca fazer futebol para povos originários, que inclui mulheres? Porque a punição no futebol, ela tem de ser desportiva e pedagógica, não pecuniária. O presidente de clube tem que temer a suspenção, a perda de pontos, não uma multa financeira”, finalizou o presidente da FAF e deputado estadual, Ednailson Rozenha.

Portal 092