Manaus, 23 de julho de 2024

Em Manaus, pesquisadores realizam estudo para averiguar as principais causas de acidentes envolvendo embarcações com passageiro nos rios da Amazônia. A partir dos dados já coletados, entre os quais, relatórios técnicos e documentos acadêmicos, é possível apontar que erros humanos e condições inadequadas das embarcações estão entre os principais motivos de acidentes desse tipo na região.

Informações checadas e reunidas no âmbito do estudo indicam que as violações das regras de procedimentos seguros para navegação, negligência e erros de gerenciamento e operacionais são as causas mais frequentes de acidentes com embarcações, provocados por falha humana.

Segundo o coordenador do estudo, o doutor em Engenharia Oceânica Jassiel Fontes, da Universidade do Estado do Amazonas (UEA), os resultados foram obtidos por meio de uma revisão bibliográfica criteriosa e detalhista.

“Com isso, os resultados da pesquisa podem contribuir na governança e na tomada de decisões, visando a implementação de estratégias de prevenção de acidentes na região amazônica”, informou Jassiel, que também é professor de Engenharia Naval na UEA.

O projeto recebe investimento do Governo do Estado, via Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam).

Causas e metodologia

Além dos erros humanos, o monitoramento mostra que problemas mecânicos nas embarcações e condições ambientais e/ou climáticas adversas e inesperadas, como tempestades, por exemplo, também estão entre as principais causas de acidentes envolvendo embarcações.

Na pesquisa, foram consideradas bases de dados de revistas nacionais e internacionais, assim como notícias, documentos e relatórios. Uma metodologia similar está sendo implementada na segunda fase do projeto, que visa identificar os possíveis impactos ambientais derivados de acidentes com esses veículos.

Conforme destacou o pesquisador, reforçar a educação e o treinamento das pessoas que trabalham na indústria naval e nas atividades de navegação, implementar verificações contínuas sobre os procedimentos corretos de navegação e checar o estado de conservação desses veículos são iniciativas que podem prevenir acidentes.

Além disso, incentivar o desenvolvimento científico e explorar tecnologias emergentes para prevenção de acidentes são formas eficazes de garantir a segurança de passageiros que utilizam o transporte hidroviário, de acordo com o coordenador.

Destaca-se que as alternativas de prevenção devem considerar fatores regionais e particularidades geográficas como a presença de troncos, plantas e grandes bancos de areia em temporada de seca dos rios.

Equipe

Denominado “Acidentes com embarcações na região amazônica: identificação de causas e alternativas de prevenção”, o estudo, em andamento, conta com a participação de quatro pesquisadores vinculados a UEA e a Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). A equipe também conta com colaboradores da Universidad Nacional Autónoma de México.

O projeto recebe investimento da Fapeam via Programa CT&I Áreas Prioritárias, que apoia propostas de pesquisa científica, tecnológica e de inovação nas diferentes áreas do conhecimento.

Fonte: D24am