Manaus, 21 de julho de 2024

Cáceres/MT. A Polícia Federal deflagrou, nesta quinta-feira (26/10), a Operação Via Adamas, que visa combater a comercialização de diamantes extraídos ilegalmente no estado de Rondônia enviados ao estado de São Paulo.

Na ação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão, nas cidades de Cacoal/RO, Tupaciguara/MG, Ituiutaba/MG, Patos de Minas/MG, Sorocaba/SP. As ordens judiciais foram expedidas pela 2ª Vara Federal Cível e Criminal da SSJ de Cáceres/MT.

Durante o cumprimento do mandado de busca e apreensão em residência do suspeito de ser o destinatário dos diamantes ilegalmente comercializado, foi realizada uma prisão em flagrante.  Além disso, foram encontrados documentos de identidade e carteira de couro com o brasão da República Federativa do Brasil em nome do investigado com os dizeres “ordem do mérito cívico e cultural – comendador”. Dessa forma foi caracterizado o crime de falsificar ou fazer uso indevido de sinal identificador de entidade da Administração Pública, com pena de reclusão de dois a seis anos e multa.

Já durante as buscas em Tupaciguara, foram encontradas 12 pedras na cor verde que passarão por perícia para verificar se realmente se tratam de pedras preciosas.

As investigações tiveram início com o flagrante realizado pela Polícia Rodoviária Federal, na cidade Pontes e Lacerda/MT, em agosto de 2021. Na ocasião, um casal foi preso com 23 pedras de diamantes compradas em Cacoal. O mesmo investigado foi novamente preso, em 10/10/2022, com uma carga de alexandrita avaliada em mais de 128 milhões de reais em Juiz de Fora/MG.

As apurações constataram o esquema era comandado por uma associação criminosa que atuava no estado de Minas Gerais, a qual intermediava a compra e venda de pedras preciosas extraídas no norte do país, atravessando pelo estado de Mato Grosso com destino à região sudeste.

Fonte: Polícia Federal