Manaus, 20 de julho de 2024

Uma tragédia abalou Manaus com a morte de Marco Aurélio Winholt Castro, um universitário de 20 anos, cursando Relações Públicas na Universidade Federal do Amazonas (Ufam). O jovem perdeu a vida após ser baleado durante uma ação da Polícia Militar do Amazonas (PMAM) na comunidade Raio de Sol, bairro Cidade Nova, Zona Norte de Manaus. Seu pai, devastado pela perda, descreveu-o como “um jovem de um futuro promissor”.

O trágico incidente ocorreu na noite de sexta-feira, 6 de outubro. A PMAM foi acionada após denúncias de homens armados ameaçando moradores na comunidade. Os suspeitos fugiram ao perceber a chegada dos policiais. Durante a operação, Marco Aurélio foi baleado e imediatamente recebeu atendimento, sendo encaminhado ao Hospital e Pronto-Socorro (HPS) João Lúcio, na Zona Leste, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos.

A PM emitiu uma nota expressando seu compromisso com a vida e o respeito aos direitos humanos, porém, não esclareceu a origem do tiro fatal que tirou a vida do universitário. O pai da vítima, Hugo Castro, acredita que seu filho foi assassinado e descreve o incidente como um “crime cruel”.

Testemunhas relatam que os policiais efetuaram dois disparos ao chegarem à comunidade, sendo que um atingiu as costas de Marco Aurélio. A família aguarda a investigação, e um investigador deve inspecionar o local dos disparos.

Marco Aurélio, no quinto período de Relações Públicas na Faculdade de Informação e Comunicação (FIC) da Ufam, tinha um futuro brilhante pela frente. A Ufam emitiu uma nota de pesar, solidarizando-se com a família e a comunidade universitária, destacando a perda irreparável.

Para o pai, seu filho tinha um futuro promissor interrompido abruptamente. Com apenas 20 anos, Marco Aurélio já era um Microempreendedor Individual (MEI), tinha seu próprio veículo e uma conta bancária saudável, tudo conquistado de maneira honesta. Ele era também proprietário de uma loja virtual de óculos, que agora será cuidada por um de seus irmãos.

O velório do jovem ocorreu no sábado, enquanto seu corpo foi sepultado no domingo no Cemitério Parque Tarumã, na Ponta Negra. A comunidade lamenta a perda de um talentoso jovem com um futuro que foi tragicamente interrompido, enquanto busca respostas sobre as circunstâncias de sua morte.